domingo, 19 de fevereiro de 2012


Hoje é meu aniversário. Isso por si só já seria suficiente para me comover e gerar sentimentos ambíguos. Sempre detestei fazer aniversário. Mas este ano estou vivendo pela primeira vez a experiência de passar esta data longe de todas as pessoas que eu amo e que se importam comigo. E talvez esta seja a experiência que vai mudar meus sentimentos em relação a aniversários, principalmente o meu. Nunca dei muita bola de verdade para esta comemoração. Afinal, parabéns pelo quê? Por você ter sobrevivido mais um ano? Por você ter menos um ano de vida, menos um ano para realizar seus sonhos? Nunca entendi direito por que as pessoas nos parabenizam em nosso aniversário. Aliás, não sou muito adepto desse hábito. Prefiro desejar um feliz aniversário, faz mais sentido. Pois é, e nunca fez tanto sentido. De hoje em diante, não vou só desejar um feliz aniversário para as pessoas com quem me importo, vou desejar também que elas estejam perto das pessoas que amam nesse dia.
Nunca liguei muito para datas. Não de verdade. Sempre celebrei datas mais por inércia social do que realmente por dar valor. Afinal, sempre pensei que um dia é um dia como outro qualquer. Não é em uma data específica que se comemora uma relação, por exemplo. É no dia-a-dia. E, provavelmente, eu não estaria dando a menor pelota para o meu aniversário se estivesse em casa. Mas hoje eu não pensei em outra coisa, o dia inteiro.
Cheguei do trabalho e resolvi seguir algumas dicas que li em uma rápida busca por "coisas para se fazer quando se está sozinho no dia de seu aniversário". Vesti minhas roupas novas, que comprei ontem para me presentear, e saí. Mas a verdade é que eu não tinha nada para fazer na rua além de compras de casa. E foi o que fiz, vestido como se fosse a uma festa. Achei que isso fosse me fazer bem. Não fez diferença alguma. Comprei cupcakes no Starbucks e voltei para o apartamento, exatamente do jeito que temia, igual a uma cena de filme. Sozinho, com um cupcake e nem sequer uma vela para acender.
Acendi um cigarro, em vez disso, e resolvi continuar a minha rotina como se esse fosse um dia comum.
E não comi o cupcake inteiro. Afinal, eu não gosto de cupcakes em dias comuns, não é porque é meu aniversário que iria passar a gostar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário